RSS do Blog Anti-NOMBlog Anti-NOM no Google Mais Twitter do Blog Anti-NOM Facebook do Blog Anti-NOM

Não Tema o Ebola, Tema o Estado

segunda-feira, 4 de agosto de 2014 |


Doenças, desastres naturais e crises causadas pelo homem são rotineiramente exploradas pelo governo como pretexto para ampliar e estender o seu poder e alcance. O Estado e sua mídia de propaganda prosperam em uma crise fabricada após outra, como parte de um esforço sistemático para chegar até o estado policial. O objetivo não é a proteção das pessoas. É um estado de vigilância abrangente com um componente militarizado concebido não para nos salvar de terroristas do mal ou de doenças assustadoras, mas para controlar a população e manter seu monopólio político através do medo e da violência.

O alardeado Ebola - muito menos ameaçador para o americano comum que ficar no hospital ou dirigir um carro - será utilizado para impor novas restrições à circulação dos cidadãos. O site do CDC (Centro para Controle de Doenças dos EUA) revela o que o governo [americano] pretende fazer no remoto caso difícil espalhar a doença chegue até os EUA - reforçar o isolamento, quarentena e decreto governamental forçado a mira de arma. "Além de servir como funções médicas, o isolamento e a quarentena são também funções do 'poder de polícia', derivados do direito do Estado de tomar medidas que afetam os indivíduos em benefício da sociedade", afirma o CDC.

Enquanto isso, o Pentágono fazendo seu jogo. "Os militares têm planos de resposta prontos para eventos nacionais de emergência que podem incluir qualquer coisa de um surto de pandemia até o colapso econômico, os quais podem levar a distúrbios civis", escreve Mac Slavo. "O Departamento de Defesa informou ao Congresso que implantou sistemas de diagnóstico biológicos para as equipes de suporte da Guarda Nacional em todos os 50 estados", apesar de uma completa falta de casos de Ebola e a improbabilidade de uma pandemia.

Além de fornecer uma desculpa para uma ampliação de governo e do poder militar, ameaças pandêmicas sensacionalistas são usadas ​​por corporações transnacionais para aumentar os lucros.

Em 2010, o Presidente cessante do Conselho de Sub-comitê da Europa de Saúde, Wolfgang Wodarg, disse que a pandemia de gripe suína de 2009 era uma farsa fabricada por empresas farmacêuticas em conluio com a OMS para fazer grandes lucros, enquanto colocavam em perigo a saúde pública. "É o truque que eles sempre tentam monopolizar isto e nós pagamos muito mais com isso", disse Wodarg.

Vacinas "aceleradas" que podem se tornar obrigatórias 

O Instituto Nacional de Saúde, um centro de pesquisa biomédica no âmbito do Departamento de Saúde e Serviços Humanos, anunciou que está trabalhando com outro gigante do governo, a Food and Drug Administration (FDA), para acelerar uma vacina contra o Ebola.

"Estamos começando a discutir algumas negociações com as empresas farmacêuticas para ajudar a aumentar a escala, de modo que em caráter de emergência, pode estar disponível em 2015 para profissionais de saúde que estão se colocando em riscos extremos", Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas.

Vacinas aceleradas (em inglês Fast tracked) e a guerra psicológica da "pandemica" resultou na obrigatoriedade das vacinas contra a gripe para os trabalhadores pelo  Estado e suas instituições de apoio - incluindo hospitais, escolas, e até mesmo creches privadas.

O New York Times e a mídia corporativa estão agora exigindo vacinação obrigatória para as crianças e a eliminação de todas as isenções. Como se isso não bastasse, alguns estão chamando para a participação obrigatória em ensaios clínicos de vacinas também.

"Muitas sociedades já obrigam que os cidadãos realizem atividades para o bem da sociedade", escreve Susanne Sheehy para a Associação Médica Americana, um cartel sancionado pelo governo, que é especializada em fazer saúde inacessíveis.

Cuidado quando o governo e seus parceiros corporativos preferenciais argumentarem em favor de atividades obrigatórias, supostamente para o bem da sociedade.

Este, invariavelmente, resulta em um comportamento autoritário, o recrutamento e confisco de bens através de uma arma.

------------------------------------
Recomendamos a leitura do post "Notícias reais sobre a gripe H1N1, a vacina e a toda corrupção envolvida na pandemia" e dos links que ele contém. Lembrando do passado evitar ser enganados no presente e no futuro. 

Fontes:
Infowars: DON’T FEAR EBOLA, FEAR THE STATE

Nenhum comentário:

Posts Relacionados
 
;