RSS do Blog Anti-NOMBlog Anti-NOM no Google Mais Twitter do Blog Anti-NOM Facebook do Blog Anti-NOM

Morre a Baronesa Philippine de Rothschild, a Rainha dos Colares Satánicos

terça-feira, 26 de agosto de 2014 |

Morreu dia 23 de Agosto de 2014 a Baronesa Philippine Mathilde Camille de Rothschild, 5 gerações abaixo do fundador da Dinastia de Banqueiros (ou diria illuminatis?) fundada por Mayer Amschel Rothschild. Philippine ficou famosa por seus nada discretos colares com a figura de Baphomet. Dona de vinícolas, os rótulos de seus vinhos também transparecem muito do que há por trás desta maldita família.



Philippine de Rothschild entrou o negócio de vinho de seu pai no final de 1970. Quando Philippe morreu em 1988, Philippine herdou três vinícolas em Bordeaux, na França. Na época da morte de seu pai, a empresa vendia 1,3 milhões de caixas de vinho por ano. Em 2000, as vendas quase dobraram para 2,1 milhões de casos. Em 1999, as vendas somaram cerca de US $ 155 milhões. Sua fortuna pessoal foi estimada em 190 milhões de euros pelo Le Nouvel Economiste.

Abaixo estão fotos da Baronesa. Note-se que em todas as fotos ela usa um pesado colar de ouro com um pingente. O pendente na primeira foto abaixo é uma enorme imagem de Baphomet, muito relacionado com a maçonaria, ocultismo e satanismo. Para ler mais sobre Baphomet veja nosso post "Quem é Baphomet?".









Nesta imagem abaixo podemos ver o rótulo de uma de suas adegas, a Mouton Cadet, cujo logotipo poderia ser interpretado como a figura de baphomet de perfil, com 3 vezes o número 666 de lado.


Aqui está uma foto de uma garrafa de vinho tinto de outra de suas adegas, Chateau Mouton Rothschild. Observe a serpente; as palavras "Cou Cou" (que é francês para "pescoço pescoço") que sai da boca da cabeça sem corpo no canto superior direito; a figura feminina sem cabeça abaixo da serpente à esquerda; e o copo de líquido vermelho (vinho ou sangue?) logo abaixo do "Cou Cou":


Outro fato curioso sobre Philippine é que sua mãe, a católica Elisabeth Pelletier de Chambure,  seria a única Rothchild que teria morrido durante o holocausto na segunda guerra mundial. Em 1939, Philippe de Rothschild, pai de Philippine se separou de Elisabeth e esta voltou a usar seu nome de solteira (por isto não tem o sobrenome Rothchild). Ela teria sido levada pela guestapo em 1943 por tentar passar a fronteira com permissão falsa e teria sido enviada para o campo de concentração de  Ravensbrück, na Alemanha. Para aumentar o drama e mostrar a família Rothchild como vítima do Holocausto, seu ex-marido Philippe escreveu em suas memórias que Elisabeth teria sido jogada em um forno de um campo de concentração viva.

Fontes:

Quem é Baphomet?
Où trouver les symboles : Les colliers sataniques de Philippine Mathilde Camille de Rothschild la baronne
- Wikipedia: Élisabeth de Rothschild

2 comentários:

CICERO CICE disse...

mano todo mundo vai ser julgado um dia pra quer um ser melhor do que o outro somos todos iguais diante do criador

CICERO CICE disse...

mano sem palavras

Posts Relacionados
 
;