RSS do Blog Anti-NOMBlog Anti-NOM no Google Mais Twitter do Blog Anti-NOM Facebook do Blog Anti-NOM

A Decapitação de James Foley é Encenada, de Acordo com Especialistas

quinta-feira, 28 de agosto de 2014 |

O vídeo que mostra a decapitação de James Foley, que está sendo utilizado para angariar do povo americano apoio para (mais) uma incursão militar americana, tem todos os sinais de que é falso, como é demonstrado abaixo neste post. 

Em meu recente artigo " OTAN usa Foley e ISIS como pretexto para bombardear a Síria - Alvo final é a Rússia", escrevi sobre três aspectos do vídeo da decapitação de Foley, que indicou que o vídeo não é o que está sendo retratado para o povo americano.

Enquanto decapitações não são de forma alguma inacreditáveis ou externas para a crise de desestabilização da Síria, a suposta decapitação do jornalista James Foley é algo que deve ser visto com uma certa quantidade de ceticismo saudável. Na verdade, há uma série de anomalias associadas a este vídeo específico que o diferencia dos inúmeros outros vídeos de decapitação produzidos pelos esquadrões da morte apoiados pelo ocidente que tentam derrubar o governo de Bashar al-Assad e estabelecer um califado islâmico no Oriente Médio.
Alguns comentaristas têm apontado que James Foley parece notavelmente calmo e sereno no vídeo, sobretudo tendo em conta o fato de que ele sabe que não estará por muito mais tempo neste mundo. Alguns podem argumentar que Foley está calmo devido ao fato de que ele sabe que vai morrer e fez as pazes com este fato, uma condição que surpreende a muitos quando a morte é iminente. Outros, no entanto, podem apontar para isso como prova do contrário, ou seja, que Foley sabe que ele não vai morrer e, portanto, sugere que ele está, de fato, atuando em um vídeo de propaganda habilmente inventado.

Em segundo lugar, há o fato de um nítida falta de sangue em uma execução que envolve o corte de uma garganta humana. Como o Syrian Free Press relata, quando se atrasa o vídeo, é evidente que a faca segurada pelo combatente do esquadrão da morte corta para trás e para frente de 7 à 10 vezes. No entanto, não há uma gota de sangue a ser visto. Isso é altamente incomum para dizer o mínimo.

Em terceiro lugar, e talvez o mais condenável, é o fato de que o processo da decapitação propriamente dita é censurado. Em todas as decapitações filmadas ocorridas na guerra da Síria desde 2011, não houve nenhum (pelo menos até onde este escritor saiba) que foram censuradas pelo ISIS ou qualquer outra organização de esquadrões da morte. Na verdade, se todo o propósito do vídeo de decapitação é criar medo e indignação, então censurar a decapitação propriamente dita é contraproducente.

Reforçando minha própria análise anterior, analistas profissionais estão agora sugerindo que o vídeo de decapitação é, na verdade, completamente encenado.

Como Bill Gardner escreveu para o The Telegraph, a evidência forense do filme agora indica que o "jihadista britânico no vídeo pode ter sido o líder, em vez de assassino."

De fato, Gardner afirma que um estudo do vídeo de 4:40 minutos sugere que "truques de câmera e técnicas habilidosas de pós-produção parecem ter sido utilizadas."

Gardner escreve:
Um analista forense disse ao The Times que o sangue não pode ser visto, embora a faca seja passada em toda a área do pescoço, pelo menos seis vezes. "Depois de melhorias nas imagens, a faca pode ser vista sendo passada através da parte superior do pescoço, pelo menos seis vezes, sem evidência de sangue até o ponto da imagem ficar preta", disse a análise.

Sons supostamente feitos por Foley não parecem consistentes com o que poderia ser esperado.

Durante o discurso de Foley, parece haver um pequeno sinal sonoro que poderia indicar que o jornalista teve que repetir uma linha.

Um perito contratado para analisar as imagens teria dito: "Eu acho que foi encenado. Minha impressão é que a execução pode ter acontecido depois que a câmera foi interrompida".
É claro que, enquanto os especialistas sugerem que o vídeo era falso, nem os analistas ou Gardner tentaram sugerir que o assassinato nunca realmente ocorreu, sugerem em vez disso, que o assassinato ocorreu após o "truque da câmera" ser concluído.

Esta sugestão, no entanto, está contra a lógica. Se os jihadistas iriam matar Foley, o que eles possivelmente poderiam ganhar editando a parte mais horrenda do vídeo? Ainda mais, por que o ISIS falsificaria o assassinato de Foley, quando poderiam realmente matá-lo, e em seguida só se divulgaria a versão falsa da execução? Estas questões são particularmente pertinentes uma vez que o objetivo do vídeo seria para incutir o medo e terror, uma tarefa que certamente poderia ter sido feita mais facilmente, mostrando a decapitação real.

A única conclusão lógica a ser alcançada é que o vídeo não era um produto de esquadrões da morte do ISIS agindo de forma independente, mas que o vídeo era um produto da inteligência ocidental e hábil edição de vídeo para fins de propaganda.

Este vídeo, que tem sido utilizado para sacudir os nervos do povo americano e angariar apoio para mais uma aventura militar estrangeira, está pronto para ser usado para justificar "ataques aéreos dirigidos" contra a Síria em um futuro próximo. Verdadeiro ou não, espera-se que o povo americano não permita que este tipo de propaganda primitiva os enganem precipitadamente para a guerra mais uma vez.

Veja abaixo o vídeo:

Participe da discussão no Fórum Anti-NOM.

Leia mais:

CIA Admite que Encenou Falsos Jihadistas em Vídeos em 2010






Jonh Kerry: O ISIS Deve ser Destruído





Fontes:
- Activist Post: Experts: Foley Beheading Video Is Staged
Activist Post: NATO Using Foley and ISIS As A Pretext For Bombing Syria - Ultimate Target Is Russia
Syrian Free Press: American Journalist James Foley Appears to be Beheaded by the US created/Backed Islamic Militants. But Was He?
The Telegraph: Foley murder video 'may have been staged'

4 comentários:

Anônimo disse...

Essa deve ser uma avaliação falsa com o intuito de que as forças ocidentais não façam nada contra o avanço do fundamentalismo islâmico. Muitos outros peritos disseram que o vídeo do assassinato é verdadeiro.

Anônimo disse...

Quando isso foi postado, apenas James Foley havia sido o um refém ocidental decapitado e tendo um vídeo gravado. Até hoje além dele, Steven Sotloff, David Haines, Alan Henning, Peter Kassig e Hervé Gourdel foram decapitados, além de cerca de 18 soldados sírios e mais um soldado curdo perto de Mossul. Gente acham mesmo que tudo isso foi encenação?! Claro que não!! E desde quando Foley estava calmo?! O fato dele não esboçar reação não quer necessariamente dizer que ele estava calmo, quem analisar melhor verá que ele está com medo sim, porém com conformidade pelo seu destino, mesmo que seja difícil acreditar. O único dos reféns que aparentou serenidade pouco antes da execução foi Steven Sotloff e mesmo assim, no final do vídeo da decapitação de Foley, se percebia nitidamente que Sotloff estava nervoso. Vocês falam de falta de autenticidade no vídeo mas acham mesmo que jihadistas vão apenas fingir a morte de alguém, ainda mais sendo um americano?! Claro que não! Esses terroristas não tem compaixão em matar crianças, mulheres, idosos, quanto mais americanos. Eu sinceramente gostaria muito que tudo isso fosse fake, que nada disso tivesse acontecido, mas é pouco provável... infelizemente!! E pra quem acha que tudo isso foi fictício, experimente ir ao encontro desses extremistas pra provarem da "não veracidade" dessas decapitações!

Ana Paula

janio alves disse...

No amor e na guerra tudo e possivel. Acho que este video e falso mesmo

silvana disse...

Se realmente for falso ficaria muito feliz, mas onde estariam todos ? Será que eles brincariam com isso? Bom por enquanto a verdade que temos é que todos foram assassinados infelizmente.

Posts Relacionados
 
;