RSS do Blog Anti-NOMBlog Anti-NOM no Google Mais Twitter do Blog Anti-NOM Facebook do Blog Anti-NOM

Argentina: Engenheiro Cria Comunidade para "Viver Fora da Matrix"

quinta-feira, 25 de junho de 2015 |

São 51 hectares próximo da colina Uritorco. Já há quatro famílias vivendo e outras onze construindo suas casas. Todos são profissionais que deixaram seus trabalhos em busca de outra vida.

Sete anos atrás, o engenheiro Juan Bilezker de 52 anos estava em seu carro em direção à Capilla del Monte e quando passava em frente à Uritorco viu cair uma estrela cadente. Três anos depois, comprou 51 hectares a quatro quilômetros da colina. "À Capilla del Monte vêm todas as pessoas cansadas da matrix. São todas ovelhas negras. Não estão no sistema. Viver aqui é sair da vida segura e do consumo", disse Juan, agora em sua casa trailer onde vive atualmente, e que possui uma vista panorâmica da colina que ele tornou em um espaço de fraternidade espiritual.

O monte foi batizado de Wallala, em referência ao mítico paraíso da mitologia nórdica, a qual se alcançava subindo pelo arco-íris, e para abrir seus caminhos entre as matas selvagens, o engenheiro contratou um estudo satelital; dos setenta lotes disponíveis, trinta e oito já possuem donos, que ainda não construíram, e onze famílias vão e volta de Buenos Aires até o término de suas habitações; quatro famílias vivem em casas prontas.

Algumas construções respondem a padrões clássicos e seus materiais são de madeira, adobe e pedras do local, como a que está construindo o próprio Juan; outras, como a de Afro, 42 anos, uma administradora de empresas portenha que foi a primeira a se mudar, cumpre com os critérios mais puros da permacultura; a sua é um hexágono de parede somente de adobe distribuídos circularmente e iluminada com leds de 12 volts, alimentados através de painéis de energia solar. Os banhos são ecológicos e, como a água potável é um tesouro, o engenheiro construiu um moinho no ponto mais alto da colina e em seguida, acrescentou um cano que bombeia a água para baixo.

Para os donos deste condomínio particular, Wallala é uma alternativa de vida. "Queria uma unidade de consciência em evolução, ou seja, amigos", disse Juan ao escrever, e suas palavras não são controversas. "Aqui se respira paz, há tempo, muita natureza e pouca informação dos meios de comunicação. O silêncio é contínuo e os estados interiores existem com frequência. É difícil não estar presente e em gratidão. Sem saber você começa a buscar seu lugar e começa a sentir mais do que pensar, sem colocar palavras que o prenda", acrescenta.

"Eu fiz um caminho de espiritualidade por dez anos", lembra Afro colocando música em seu laptop sem internet que possui em sua pequena casa de campo com dois quartos e uma pequena cozinha/sala de jantar, janelas decoradas com vidros reciclados e pisos pintados à mão. "Me divorciei em 2001 porque a vida convencional não me preenchia, e fiquei cinco meses na Índia. Precisava buscar algo a mais. Comecei a ler Osho e a fazer meditação. Vivi em Ashram e no Himalaia. Os lamas te ensinam que a vida não acontece pelo trabalho, mas sim, por tentar ser feliz e ter paz interior".

"Dez anos depois, um dia Juan apareceu na casa de um amigo. Eu conhecia através das meditações de Osho. Eu o ouvi falar de sua ideia de construir uma comunidade em um bairro em Córdoba e me disse: 'É isso'", lembra Afro.

Viver com o espírito colocando à frente, sem dogmas nem crenças, com consciência da tarefa de "sob o céu, a terra", diz Afro, que incentiva as pessoas de Wallala a serem cada dia mais verdadeiras em seu modo de ser em face à Uritorco, um possível paraíso.


Leia mais:



Os Efeitos do Sistema ‘Educacional’









[Estudo] Há Esperança para a Humanidade. A Bondade é "Contagiosa"





Fontes:
- Periodismo Alternativo: Un ingeniero creó una comunidad para “vivir fuera de la ‘matrix’” en el Uritorco – Córdoba
EcoPortal: Un ingeniero creó una comunidad para “vivir fuera de la ‘matrix’” en el Uritorco - Córdoba
Wallala, Barrio de Conciencia

Nenhum comentário:

Posts Relacionados
 
;