RSS do Blog Anti-NOMBlog Anti-NOM no Google Mais Twitter do Blog Anti-NOM Facebook do Blog Anti-NOM

A Inegável Conexão do Glifosato e o Autismo

terça-feira, 26 de março de 2019 |


Hoje, o glifosato, também conhecido pela marca Monsanto como Roundup, é o herbicida mais usado no planeta. Usado em jardins, fazendas e playgrounds em todo o mundo, o Roundup tem sido um dos mais vendidos eliminadores de ervas daninhas por muitos anos.

Muito tem sido dito sobre o impacto que o glifosato tem na nossa saúde e no meio ambiente. A Organização Mundial da Saúde (OMS) considerou recentemente o glifosato como um provável carcinógeno e os pesquisadores de todo o mundo estão cada vez mais chegando à conclusão de que o glifosato e produtos à base de glifosato não têm lugar seguro ou uso neste mundo.

Não muito tempo atrás, a Dra. Stephanie Senneff, do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), previu que até 2025 metade das crianças americanas nascerá com Transtornos do Espectro do Autismo (TEA). O TEA refere-se não apenas ao autismo, mas também a uma variedade de distúrbios do desenvolvimento cerebral, como a síndrome de Asperger. Hoje, o CDC estima que cerca de 1 em cada 68 crianças tem alguma forma de TEA, o que parece afetar os meninos 4,5 vezes mais do que as meninas.


Embora as toxinas presentes nas vacinas obrigatórias em bebês inocentes são um grande contribuinte para o crescente número de desordens do neurodesenvolvimento, como o autismo, as vacinas não são as únicas culpadas. Segundo a Dra. Senneff e seu parceiro Dr. Anthony Samsel, é o efeito sinérgico do glifosato a partir de alimentos combinados com os ingredientes tóxicos de vacinas que está acelerando o surgimento de transtornos do espectro do autismo entre os nossos filhos.


Ações da Bayer Caem após Glifosato ser Ligado ao Câncer







Glifosato na Cerveja e no Vinho, o Cancerígeno Pesticida em Todo Lugar





A ligação entre o glifosato e o autismo não pode mais ser ignorada

Estudos anteriores mostraram que a crescente prevalência do autismo nos Estados Unidos está altamente correlacionada com o aumento do uso de herbicidas à base de glifosato. Um relato de caso publicado recentemente confirmou esses resultados. Ele forneceu evidências claras da ligação entre o uso de glifosato e o aumento dramático de TEA que está afetando o desenvolvimento dos cérebros de nossos filhos.

Para o relatório, William Shaw, médico e fundador do The Great Plains Laboratory, Inc. em Lenexa, analisou as amostras de urina de um conjunto de trigêmeos - dois meninos autistas e uma menina com problemas de apreensão e distúrbios de aprendizagem - e seus pais para os níveis de glifosato. No início do experimento, os pesquisadores encontraram quantidades muito altas de glifosato nas amostras de cada um dos trigêmeos provenientes de sua dieta não orgânica rica em milho transgênico, soja e outros grãos não orgânicos.

O glifosato mata as bactérias benéficas do intestino, o que permite que as bactérias nocivas do Clostridia se desenvolvam. Quando essas bactérias nocivas assumem o controle, ocorrem desequilíbrios nos neurotransmissores dopaminérgicos, que destroem as mitocôndrias das células cerebrais, levando a danos cerebrais e TEA.

Quando os trigêmeos foram testados novamente para os níveis de glifosato após um período de ingestão de uma dieta estritamente orgânica, os níveis de glifosato caíram significativamente. Ao mesmo tempo, suas condições autistas também diminuíram depois de comer nada além de alimentos orgânicos livres de glifosato por cerca de seis meses.


CONFIRMADO: As Vacinas Estão Contaminadas com Glifosato






Monsanto Paga 290 Milhões de Dólares a Jardineiro com Câncer Causado Pelo Glifosato





Não só os alimentos geneticamente modificados têm altos níveis de glifosato

Embora a ingestão de alimentos não transgênicos não garanta a ausência de glifosato em sua dieta, é sua melhor chance de evitar, tanto quanto possível, a toxina prejudicial ao cérebro e à saúde. Níveis significativos de glifosato, ou traços do herbicida, foram encontrados no trigo, aveia e outros produtos processados ​​não transgênicos.

A menos que seus alimentos sejam 100 por cento certificados, é provável que suas refeições estejam encharcadas de glifosato. Recentemente o site Natural News informou sobre um estudo que descobriu que muitos de nossos produtos comprados em lojas estavam contaminados com altos níveis de glifosato. Alguns desses alimentos processados ​​comumente consumidos continham até 1.000 vezes mais glifosato do que a quantidade que pode causar sérios efeitos à saúde.

Leia mais:


Agrotóxicos: “Até 2025 uma em Cada Duas Crianças Será Autista”, Afirma Cientista






[ESTUDO] Herbicida Transgênico Roundup Ligado ao Crescimento de Intolerância ao Glúten






A Ligação entre a Exposição ao Glifosato e o Autismo







Fontes:
Natural News: Glyphosate’s undeniable connection to autism
Health Impact News: Study: Reducing Herbicide Glyphosate in Diet Reduces Autism Symptoms
Case Report: Elevated Urinary Glyphosate and Clostridia Metabolites With Altered Dopamine Metabolism in Triplets With Autistic Spectrum Disorder or Suspected Seizure Disorder: A Case Study (PDF)
CDC: Autism and Developmental Disabilities Monitoring (ADDM) Network
NIH: Autism Spectrum Disorder

Nenhum comentário:

Posts Relacionados
 
;