RSS do Blog Anti-NOMBlog Anti-NOM no Google Mais Twitter do Blog Anti-NOM Facebook do Blog Anti-NOM

WhatsApp se Compromete a Processar Usuários com "Mau Comportamento" Fora da Plataforma

sábado, 15 de junho de 2019 |

Indústria tecnológica começa a policiar a atividade no mundo real

O WhatsApp está ameaçando usuários que violam suas regras com ações judiciais, mesmo que a única evidência de “quebra de regras” exista fora do aplicativo de mensagens de propriedade do Facebook e a única juíza seja a inteligência artificial.

"O WhatsApp tomará uma ação legal contra aqueles que estiverem envolvidos ou ajudando outras pessoas em abuso... mesmo que essa determinação seja baseada em informações exclusivamente disponíveis para nós em nossa plataforma", a empresa alertou no FAQ na segunda-feira.


Evidências fora da plataforma de comportamentos dignos de proibição, incluindo “mensagens automatizadas ou em massa, ou uso não pessoal”, poderiam desencadear não apenas “imposição tecnológica”, mas repercussões legais, advertiu o post - e ai daqueles usuários que se gabam da plataforma sobre a sua capacidade de fugir das regras. O WhatsApp se orgulha de poder proibir os usuários "com base em classificadores de aprendizado de máquina", e continuará a fazê-lo.

Embora o anúncio citasse repetidamente mensagens em massa e spam como principais comportamentos abusivos, os usuários foram banidos por muito menos - apenas por adicionar pessoas que não estão na lista de contatos de um usuário a um bate-papo em grupo ou enviar mensagens a usuários desconhecidos fez com que as pessoas fossem banidas da plataforma.


[Big Brother] Veja Como Você Pode Analisado Mesmo que NUNCA Tenha Usado uma Rede Social





O WhatsApp não explicou como se propõe a rastrear a internet em busca de evidências de violações dos Termos de Serviço, mas com as ferramentas de vigilância da empresa-mãe, Facebook, à sua disposição, há muitas opções.

A empresa se vangloriou de remover mais de 2 milhões de contas por mês, mais de 75% daquelas sem reclamações de usuários, aparentemente por "comportamento em massa ou automatizado". Ironicamente, a caça é feita por um detetive automatizado - os "classificadores de aprendizado de máquina" do WhatsApp.

O WhatsApp tem estado na água quente devido a acusações que figuraram proeminentemente na disseminação de boatos sobre sequestradores de crianças na Índia, o que provocou histeria que levou ao assassinato de pelo menos duas dúzias de pessoas inocentes.


[Big Brother] Muito Apps Podem Rastreá-lo, Mesmo que Você Desligue os Serviços de Localização






No mês passado, os pesquisadores de segurança descobriram que o aplicativo havia sido transformado em arma pela empresa de spyware israelense NSO Group para prejudicar os telefones de ativistas de direitos humanos e dissidentes políticos em vários países.

O WhatsApp não é a única plataforma de mídia social que reivindica domínio sobre o comportamento de usuários fora da plataforma.

Em 2017, o Twitter anunciou que começaria a supervisionar a atividade dos usuários "dentro e fora da plataforma" e bani-los se estiverem associados a organizações violentas.

O presidente Trump deixou claro seu ponto de vista sobre o conluio entre a indústria tecnológica e os democratas, indicando que acredita haver uma atividade de monopólio da indústria tecnológica.

Leia mais:


Whatsapp: Spyware Malicioso tem Todas as Indicações de “Vigilância Patrocinada Pelo Governo”


















Fontes:
- Infowars: Infowars: WHATSAPP PLEDGES TO SUE USERS OVER OFF-PLATFORM ‘MISBEHAVIOR’
FAQ WhatsApp: Unauthorized usage of WhatsApp
RT: WhatsApp pledges to SUE users over off-platform misbehavior
RT: WhatsApp vulnerability exploited by Israeli spyware targets human rights campaigners

Nenhum comentário:

Posts Relacionados
 
;