RSS do Blog Anti-NOMBlog Anti-NOM no Google Mais Twitter do Blog Anti-NOM Facebook do Blog Anti-NOM

Não Tão Inteligente: Como Harvard Perdeu um Bilhão de Dólares em uma Plantação Brasileira de Tomate

domingo, 18 de março de 2018 |
 

Amplamente considerada como uma das universidades mais prestigiadas do mundo, Harvard certamente cometeu um grave erro quando decidiu lançar mais de US$ 1 bilhão de investimento em um projeto de plantação agrícola no nordeste do Brasil que, segundo notícias acabou se tornando uma falha absoluta.


Também a universidade mais rica do mundo, Harvard, aparentemente, pensou que poderia afastar as armadilhas que outras universidades já haviam encontrado com o projeto - transmitindo essa arrogância icônica e auto-superioridade pela qual Harvard também é conhecida de forma proeminente. No final, todo o projeto basicamente entrou em colapso, e um dos maiores investimentos que a escola já fez para esse tipo de empreendimento desapareceu no ar.

De acordo com familiares de pessoas envolvidas com o problema que falaram ao site Bloomberg sob a condição de anonimato - eles têm que salvar a cara, afinal, o investimento inicial feito para o projeto foi de pelo menos US$ 150 milhões. Mas no momento em que o empreendimento falhou, o atual chefe de doação de Harvard, Narv Narvekar, apontou o valor da carteira de recursos naturais abrangente da escola para um impressionante $ 1.1 bilhão, levando-o para US$ 2,9 bilhões.

O que o projeto implicou foi um grande investimento agrícola em uma das áreas mais pobres do Brasil que visava preencher ainda mais os cofres da doação maciça de Harvard. As pessoas pobres das florestas remotas do nordeste do Brasil cultivariam tomates para fazer cola de tomate, açúcar e outros produtos para produzir etanol. A esperança era que os lucros de todos esses produtos superassem os das ações e títulos normais - mas não funcionou.

Harvard administrou mal o dinheiro dos doadores muitas vezes no passado

Este não é o primeiro nível de descarga do dinheiro do doador de Harvard, no entanto. Houve muitas ocasiões em que a instituição de ensino superior situada em Cambridge, Massachusetts, desperdiçou o dinheiro dos doadores em projetos que nunca deram em nada. E tudo deriva da crença equivocada entre os "melhores" de Harvard de que eles são os melhores, os mais espertos e inteligentes do que todos os outros, em todas as áreas da vida.

De acordo com Thomas Gilbert, um professor de finanças da Universidade de Washington, muitos erros financeiros de Harvard ao longo dos anos se recuperam de um único erro de cálculo, se você me permite: a crença entre os gestores de dinheiro de Harvard de que eles eram totalmente capazes de gerenciar todos os os riscos potenciais envolvidos com investimento. E entre os anos de 2010 e 2014, esses gestores receberam US$ 242 milhões para estimular seus delírios pessoais a esse respeito.

"Eles se tornaram barris de pólvora", disse Gilbert. "Quando você está administrando o dinheiro dos doadores, isso é terrível".

Além disso, mesmo quando Harvard não está perdendo dinheiro ano após ano, ela funciona rotineiramente no fundo do poço em comparação com seus semelhantes. Ao longo da última década, na verdade, Harvard registrou um retorno anual médio de 4,4% em seus muitos investimentos, o que representa o pior desempenho de qualquer instituição da sua classe.

Harvard desempenha mal até mesmo o tipo de investimento mais simples: um fundo de índice de rastreamento de mercado que detém 60% de ações e 40% de títulos. De acordo com os números oficiais, os retornos de Harvard nesta área de investimento são reles 6,4% ao ano, o que certamente não é motivo para se gabar.

Harvard falhou em tentar investir em vinhedos da Califórnia. Ela falhou com as florestas de teca centro-americanas. Ela falhou com as fazendas de algodão na Austrália. Falhou com uma plantação de eucalipto no Uruguai. Moral da história: Harvard tornou-se uma instituição de fracasso absoluto, pelo menos no que diz respeito à gestão de dinheiro e ao investimento.

"O portfólio de recursos naturais deveria ser a joia da coroa", afirmou Joshua Humphreys, presidente do Croatan Institute, um grupo sem fins lucrativos que se concentra no capitalismo sustentável. "Mas eles (Harvard) eram conhecidos por assumir grandes riscos, e aqueles podem ser uma faca de dois gumes".

Leia mais:


Como a Anvisa Prejudica Brasileiros para Ajudar o Orçamento do Governo













Fontes:
Natural News: NOT SO SMART: How Harvard blew a billion dollars on a Brazilian tomato plantation
Bloomberg: Harvard Blew $1 Billion in Bet on Tomatoes, Sugar, and Eucalyptus
Natural News: Harvard demanding students dumb down their language with new gender-neutral, politically correct pronouns like "hir" and "ze"

Nenhum comentário:

Posts Relacionados
 
;