RSS do Blog Anti-NOMBlog Anti-NOM no Google Mais Twitter do Blog Anti-NOM Facebook do Blog Anti-NOM

Agenda da Pedofilia: Movimento LGBT em Todo o Mundo Foca em Crianças e Adolescentes

domingo, 1 de dezembro de 2013 |

Cartilhas, livros didáticos e livros infanto-juvenis têm sido usados como estratégias para tornar o homossexualismo algo natural. O foco do Movimento LGBT tem sido em desconstruir a heteronormatividade e os fundamentos da família.

Trabalhar a consciência de jovens e adultos, não é mais suficiente. Agora, a meta do Movimento de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros (LGBT) em todo o mundo é doutrinar os indivíduos desde a infância e adolescência, despertando a sexualidade desses, para que possam “desabrochar o seu lado feminino ou masculino” sem crises. Escolas de Ensino Fundamental e Médio em todo o mundo têm sido bombardeadas por estes ensinamentos e com o apoio do Estado que, na maioria dos casos, é quem financia a produção e divulgação do material com o dinheiro dos cidadãos contribuintes. A meta do movimento LGBT é orientar e educar as crianças para que elas possam ser, mais facilmente, objeto do que eles chamam de 'desconstrução da heteronormatividade'.

No Brasil, o grupo tem orientado o governo neste sentido, buscando junto ao Ministério da Educação, que lições “anti-homofóbicas” sejam inseridas nos livros didáticos. Lições estas, em realidade, submetem meninos e meninas à ensinamentos bissexuais, e os estimulam a se descobrirem sexualmente com a justificativa de que isso é comum, normal, natural.

Um exemplo disso é a ilustração de um livro alemão (de onde foi retirada a imagem no início do texto) que ficou bem conhecido no Brasil, na metade deste ano. O livro mostra o dia-a-dia de um casal homossexual e sua convivência de sucesso com o “filho” adotivo. Na Holanda, em 2000, a escritora Linda de Hann lançou o livro ‘Koning&Koning’ que foi traduzido para o inglês ‘King&King’ e já existe a versão em português ‘Prìncipe e Príncipe’. Um conto de fadas, onde o príncipe vai se tornar rei, mas não quer se casar com uma princesa. Já em 2010, o prefeito da capital holandesa Amsterdã, Eberhard Van Der Laan, declarou que iria inserir personagens homossexuais nos livros escolares, para que as matérias abordem a homossexualidade com naturalidade.

Leia mais:
Cartilhas do Kit-Gay e o Material Indecente do Ministério da Saúde
[VIDEO] Indignação: Três Filmes do KIT-GAY Vazam no Youtube

Em dezembro do ano passado, no Rio de Janeiro, cartilhas produzidas para o público gay foram distribuídas livremente no IFRJ (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro) – instituição de ensino voltada para adolescentes e jovens – com um conteúdo que chocou pais e mesmo alunos, pelas imagens explícitas, sem nenhum pudor, de relação sexual entre homens, além de linguagem pesada, obscena e de duplo sentido. Mais ainda, a cartilha orientava que o sexo poderia ser seguro mesmo sem o preservativo. Quando o caso chegou à imprensa e foi investigado, representantes do movimento LGBT informaram na época que desconheciam a ação e que a distribuição do material foi feita por um grupo isolado. O material teria sido enviado da Holanda.

A direção do IFRJ, por sua vez, declarou que a distribuição das cartilhas foi feita durante a 5ª Parada da Cultura, que é um evento aberto ao público em geral, e que, portanto, a distribuição do material ocorreu sem sua autorização. Seja como for, as informações do IFRJ e do Movimento LGBT não levaram aos responsáveis pela distribuição, porém o material chegou ao ponto de ser entregue a adolescente de até 13 anos de idade.

Algumas cartilhas produzidas com a intenção de complementar o material didático, na verdade tem causado confusão na mente dessas crianças, pois o corpo e a formação psicológica, em sua maioria, não estão preparados para um incentivo à auto-descoberta deste nível. No início do ano, cartilhas com ensinamentos sexuais foram distribuídas em vários Estados do Brasil, porém um grupo de parlamentares do Congresso Nacional realizou uma campanha para a retirada do material de circulação e conscientizando os pais sobre o perigo deste conteúdo.

Os Ministérios da Saúde e da Educação já foram responsabilizados, até em juízo, pela produção de materiais que “educam sexualmente” e “orientam” sobre o uso das drogas (orientando a usar a droga de forma responsável). Esses conteúdos eram destinados a crianças entre 8 e 12 anos, onde em alguns casos foi pedida a confidencialidade, e a criança não poderia revelar aos pais. Há relatos de casos no Rio de Janeiro nos quais, com o material distribuído livremente nas mãos dos alunos, isso começou a causar sérios prejuízos à saúde das crianças (meninas), pois, ao ensiná-las a se masturbar, elas acabavam inflamando seus órgãos genitais (informação confirmada por ginecologistas que procuraram o apoio parlamentar em Brasília). Do mesmo modo, meninos começaram a freqüentemente sair da sala de aula para estimularem-se sexualmente no banheiro.

Grandes campanhas realizadas por cristãos no país, ainda buscam impedir que tais materiais cheguem às mão das crianças dentro das escolas e lutam contra qualquer tipo de apologia à pedofilia, manipulação de estatísticas, violação de direitos, abusos e exploração, como é o caso da ANAJURE. Se você conhece algum caso assim, denuncie à nossa associação.

Leia também:

CAI A MÁSCARA - O Globo: Diferentemente do Divulgado, Kits Anti-Homofobia eram para Crianças de 11 Anos





"Encontrando Bianca": Vídeo do MEC faz apologia ao homosexualismo para crianças de 7 a 10 anos



Fontes:
Brasil Que Pensa: Agenda da pedofilia: Movimento LGBT em todo o mundo foca em crianças e adolescentes
Anajure: Movimento LGBT em todo o mundo foca em crianças e adolescentes para propagarem seus ideais de liberação sexual
- Fórum Anti Nova Ordem Mundial: Agenda da pedofilia: Movimento LGBT em todo o mundo foca em crianças e adolescentes

4 comentários:

edson mauricio disse...

Sou Edson Mauricio ,teologo licenciatura em historia ,habilitado em sociologia .Emile Durkhein, tem a definição de moral como valores e comportamentos,definidos pela MAIORIA que vivem em grupo, isso é ciencia ,entãose 88% é hetero , a moral é hetero, o que esta sendo passado é a hegemonia homossexual.

Levita Érica Daiane disse...

O que eu vejo és uma ando realidade. Além de casar com pessoas do mesmo sexo ainda querem ser pedofilia fala sério.

João Victor disse...

Quase 4 anos depois, podemos observar tudo o que essa matéria previa se cumprindo e dividindo opiniões dentro do território nacional. E o pior, os veículos de comunicação apoiando fielmente essa agenda macabra ! E o Estado Global com certeza está por trás do financiamento de tudo que se tem sido introduzido no seio das famílias em todo mundo.

MCRamos disse...

Eu tenho uma repugnância total por isso. Crianças minhas jamais !!!

Posts Relacionados
 
;