RSS do Blog Anti-NOMBlog Anti-NOM no Google Mais Twitter do Blog Anti-NOM Facebook do Blog Anti-NOM

Documentos Internos Vazados Mostram que 36 Bebês Morreram Depois de Receber Esta Vacina

sexta-feira, 11 de janeiro de 2019 |

Quando você pensou que a indústria das vacinas não poderia ficar mais depravada, ela vai provar que você está errado. Documentos confidenciais recentemente vazados revelaram que pelo menos 36 bebês morreram após a administração de uma vacina 6-em-1 fabricada pela gigante farmacêutica GlaxoSmithKline. Essas mortes trágicas ocorreram ao longo de apenas dois anos.


A Initiative Citoyenne, uma rede de ativismo de vacinas da Bélgica, relata que o documento de 1200 páginas revelou milhares de reações adversas ocorridas durante as avaliações que aconteceram entre 2009 e 2011. Embora o relatório oficial da GlaxoSmithKline declare que apenas 14 crianças morreram durante o período de dois anos, a Initiative Citoyenne (IC) relata que sua própria análise dos dados indica um número muito maior de mortes, mais perto de 36. A IC informa que pelo menos 73 crianças morreram desde que a vacina Infanrix Hexa fez sua estréia em 2000.

Documento confidencial chocante revela onda de morte infantil

Ao ler o relatório, que pode ser visto aqui, fica claro que a GSK não tem nenhuma preocupação real pelo envolvimento altamente provável na morte de várias crianças. Na seção 6.4.1, “Casos com um desfecho fatal”, pode-se ler sobre as 14 crianças que a GSK admite terem morrido após a vacinação durante o período de avaliação de 2009-2011.

Naturalmente, cada morte é descartada. A maioria dessas crianças morreu em poucos dias depois de receber a vacina Infanrix Hexa, com um número impressionante morrendo dentro de um dia. Mesmo quando uma criança morre dentro de 24 horas após receber a vacina, a empresa comenta que “Nenhum evento adverso foi relatado após a vacinação”. Aparentemente, a morte não é um evento adverso para essas pessoas.

Sob a seção 6.4.1, o caso B0605003A é descrito. O relatório diz:

Este caso foi relatado pela autoridade reguladora italiana e descreveu a ocorrência de parada cardíaca em uma menina de 2 meses de idade que foi vacinada com uma dose não especificada de Infanrix hexa ™ em 10 de agosto de 2009. Menos de um dia após a vacinação, a criança experimentou convulsões. A criança ficou hospitalizada de 14 de agosto a 19 de agosto de 2009. No momento da notificação, o evento foi resolvido com sequelas. O último episódio de convulsão foi em 18 de outubro de 2009. A bebê apresentou um crescimento regular, mas um retardo motor leve em relação à idade. Seu peso era de 7,10 kg. Testes diagnósticos como cariótipo, ultrassonografia, tomografia axial computadorizada e ressonância magnética nuclear foram negativos. Ela foi tratada com Luminalette. De acordo com as informações de acompanhamento recebidas em 01 de junho de 2010,a menina morreu devido a uma parada cardíaca em um tempo não especificado após a vacinação.

A empresa respondeu a isso chamando-o de "Caso de síndrome da morte súbita na infância (SMSI)".

Toda vez que uma criança morre depois de ser vacinada, a indústria insiste que é apenas uma “morte súbita. Há vários relatos de bebês saudáveis ​​e felizes morrendo em apenas 24 horas após a vacinação. E ainda assim, a GSK continua afirmando que essas mortes são de alguma forma “naturais” ou sem causa, e não um resultado direto de injetar recém-nascidos delicados com meia dúzia de diferentes variedades virais, adjuvantes de alumínio e um monte de outros ingredientes perigosos.

As vacinas são um coquetel de toxinas

Escrevendo para o site Green Med Info, Christina England relata que a vacina Infanrix Hexa é carregada com ingredientes desagradáveis. Muitos patógenos nocivos, metais e outros produtos químicos estavam sendo injetados em bebês com apenas dois ou três meses de idade - e a indústria espera que acreditemos que essas injeções são seguras, mesmo depois que os bebês morrem.

Como relatado:

Essa tragédia não surpreende, dado os ingredientes da vacina listados na bula da vacina Infanrix Hexa da GSK, que raramente é dada aos pais a oportunidade de ler antes da vacinação, incluindo as substâncias não infecciosas do tétano, bactérias diftéricas, proteínas purificadas da bactéria pertussis, proteína de superfície do vírus da hepatite B (HBsAg, derivado de células de levedura geneticamente modificadas) e poliovírus inativado.

Cada dose de 0,5 mL contém os seguintes ingredientes:

Toxoide da difteria
Toxoide do tétano
Toxoide da tosse convulsa
Hemaglutinina filamentosa
Pertactina
Proteína HBsAg recombinante
Poliovírus tipo 1
Poliovírus tipo 2
Poliovírus tipo 3
Polissacarídeo capsular purificado de Hib ligado covalentemente ao toxoide tetânico
Hidróxido de alumínio
Fosfato de alumínio
2-fenoxietanol, lactose
Médio 199
Neomicina
Polimixina
Polissorbato 80
Polissorbato 20
Cloreto de sódio
Água

Além das preocupações práticas de injetar um recém-nascido com múltiplas cepas virais de uma só vez, existem vários ingredientes perigosos nesta lista. O alumínio, por exemplo, é uma neurotoxina conhecida que é capaz de causar uma série de efeitos colaterais e resultados negativos na saúde. Pesquisas recentes ligaram os depósitos de alumínio no cérebro ao declínio cognitivo, e algumas pesquisas mostraram que ele também pode causar autismo.

Mesmo os ingredientes que soam menos ameaçadores, como o “polissorbato 80”, podem na verdade ser bastante prejudiciais. Nas vacinas, o polissorbato 80 é utilizado como emulsionante, mas em farmacologia, o composto é utilizado para auxiliar no transporte de certos fármacos através da barreira hematoencefálica. Você pode ver onde isso poderia se tornar problemático, dada a neurotoxicidade de outros ingredientes da vacina, como o alumínio. Uma vez que o polissorbato 80 se decompõe, pode continuar a causar problemas. Esse ingrediente isolado está potencialmente ligado a dezenas de resultados adversos na saúde - e ainda devemos acreditar que os coquetéis de vacina são seguros.

Leia mais:



NOVA Vacina Hexavalente 6 em 1 Aprovada pelo CDC/FDA - Vaxelis® - Para Bebês






Adjuvantes Encontrados em Vacinas Levaram a um Aumento da Doença Autoimune






Trigêmeos Tornam-se Autistas Dentro de Horas após a Vacinação






O CDC Mentiu sobre as Vacinas e o Autismo por 14 Anos







Fontes:
News Target: Leaked internal documents show 36 babies died after receiving this vaccine
Green Med Info: Vaccine Bombshell: Leaked Confidential Document Exposes 36 Infants Dead After this Vaccine
The Vaccine Reaction: Polysorbate 80: A Risky Vaccine Ingredient

Nenhum comentário:

Posts Relacionados
 
;