RSS do Blog Anti-NOMBlog Anti-NOM no Google Mais Twitter do Blog Anti-NOM Facebook do Blog Anti-NOM

Cientistas Revelam uma Forte Ligação entre a Água Fluoretada e o TDAH

sexta-feira, 26 de outubro de 2018 |

Existem muitas razões para se opor à água fluoretada. Não só é uma forma de medicação em massa ditada pelo governo, mas a pesquisa mostrou consistentemente que o consumo de flúor tem uma série de efeitos nocivos na saúde humana. Pesquisas recentes confirmaram mais uma vez que o flúor é uma neurotoxina - sendo os fetos em desenvolvimento e as crianças pequenas os mais suscetíveis aos seus efeitos deletérios.


Cientistas da Universidade de Toronto confirmaram recentemente que a exposição a altos níveis de flúor no útero aumenta os sintomas semelhantes aos de TDAH em crianças em idade escolar. O Dr. Morteza Bashash, principal autor do estudo e pesquisador da Escola de Saúde Pública Dalla Lana, comentou as descobertas e declarou: “Nossas descobertas são consistentes com um crescente corpo de evidências sugerindo que o crescimento do sistema nervoso fetal pode ser negativamente afetado por níveis mais altos de exposição ao flúor”.

O flúor e o TDAH

O Dr. Bahash e sua equipe estudaram 213 mulheres grávidas e seus filhos para ver como o flúor afetava as crianças quando elas atingiam a idade escolar. Todos faziam parte do projeto Early Exposures in Mexico to Environmental Toxicants (ELEMENT), que contou com recrutamento entre os anos de 1994 e 2005 e contou com continuado acompanhamento.

A equipe de especialistas analisou amostras de urina coletadas das mães durante a gravidez, bem como amostras coletadas das crianças entre seis e 12 anos de idade. O objetivo era “reconstruir medidas pessoais de exposição ao flúor para mãe e filho”.

Em seguida, os cientistas analisaram como os níveis de flúor se relacionavam com o desempenho das crianças em uma bateria de testes e pesquisas que mediam a desatenção, a hiperatividade e a classificação geral do TDAH.

Nossas descobertas mostram que crianças com exposição pré-natal elevada ao flúor têm maior probabilidade de apresentar sintomas de TDAH, conforme relatado pelos pais. A exposição pré-natal ao flúor foi mais fortemente associada a comportamentos desatentos e problemas cognitivos, mas não com hiperatividade”, afirmou Bahash.

A equipe certamente se ajustaria a outros fatores de confusão, como exposição ao chumbo e histórico de tabagismo. Pesquisas anteriores feitas pela equipe do Dr. Bahash chegaram a uma conclusão semelhante, com a equipe descobrindo que altos níveis de flúor na urina durante a gravidez estavam associados a um menor QI e escores nos testes de cognição em crianças. Vários outros estudos recentes também fizeram uma conexão entre o flúor e o TDAH.

A fluoretação da água pode ser comum, mas isso não significa que seja realmente seguro.

A toxicidade do flúor

A verdade sobre o flúor tem sido encoberta há muito tempo; um ex-cientista da EPA, o Dr. William Hirzy, trabalhou extensivamente para estudar (e expor) o perigo real do flúor. A pesquisa do Dr. Hirzy também indicou que o consumo de flúor está ligado a uma redução no QI.

Dr. Hirzy teria declarado de sua pesquisa, "O significado desta análise de risco revisada por pares é que ela indica que pode não haver um nível seguro real de exposição ao flúor".

"O flúor pode ser semelhante ao chumbo e ao mercúrio, por não ter um limite abaixo do qual as exposições possam ser consideradas seguras", acrescentou ele.

E como relata Tracey Watson, do site Natural News, até mesmo os especialistas em saúde de Harvard foram obrigados a admitir que o flúor é de fato tóxico para o cérebro. Em 2012, os pesquisadores da escola Ivy League analisaram o QI de 8.000 crianças de escolas chinesas expostas ao flúor no abastecimento de água. E o que eles descobriram foi que o flúor, mais uma vez, estava prejudicando as crianças.

Alto teor de flúor na água pode afetar negativamente o desenvolvimento cognitivo. A perda média no QI foi relatada como uma diferença de média ponderada padronizada de 0,45, o que seria aproximadamente equivalente a sete pontos de QI para os escores de QI comumente usados”, diz a conclusão do estudo.

O efeito do flúor no cérebro é apenas a ponta do iceberg.

Leia mais:


A História Sombria por Trás do Flúor (Que a Mídia Recusa-se a Relatar)






A Verdade não Censurada sobre o Flúor













Fontes:
Natural News: Scientists STUNNED as first-of-its-kind study reveals strong link between fluoridated water and ADHD
Natural Health 365: Strong link between fluoridated water and ADHD, according to scientific study
Science Daily: Higher levels of urinary fluoride associated with ADHD in children

Nenhum comentário:

Posts Relacionados
 
;