RSS do Blog Anti-NOMBlog Anti-NOM no Google Mais Twitter do Blog Anti-NOM Facebook do Blog Anti-NOM

Pioneiro da Ciência Alerta: 99% dos Artigos Modernos Nada Mais são do que Pseudociência com Motivação Política

sexta-feira, 10 de agosto de 2018 |

 “As pessoas simplesmente não fazem isso”, disse o professor da Escola Wharton e especialista em previsão J. Scott Armstrong ao site Brietbart após alegar que menos de 1% dos artigos publicados em revistas científicas seguem o método científico. “Eu costumava pensar que talvez 10% dos trabalhos no meu campo… fossem talvez úteis. Agora parece que, talvez, um décimo de um por cento segue o método científico.” Mais especificamente, Armstrong falou sobre o“ alarmismo” pró-ativo que alguns cientistas encorajam em relação às mudanças climáticas provocadas pelo homem. Ele argumentou que os cientistas são mais motivados politicamente ou, talvez, muito focados em seu próprio avanço na carreira para querer publicar dados precisos.


Armstrong baseou-se nos critérios inicialmente definidos em seu artigo de 1982, intitulado “Pesquisa em Revistas Científicas: Implicações para Editores e Autores”. Segundo ele, há oito critérios que qualificam um bom artigo científico:

1 - Objetivo
2 - Descobertas úteis
3 - Divulgação completa de métodos
4 - Revisão abrangente do conhecimento prévio
5 - Dados válidos e confiáveis
6 - Métodos válidos e simples
7 - Evidência experimental fornecida
8 - Conclusões que são consistentes com evidências

Segundo Armstrong, “a objetividade é aquela que é procurada, mas raramente alcançada, porque o viés do pesquisador está sempre presente. Um pesquisador, [Mitroff] concluiu que os cientistas [se tornam] famosos não por serem objetivos, mas por serem defensores. Isso parece ser verdade. A defesa é uma boa estratégia para o avanço na carreira. No entanto, acredito que seja um mau conselho para fazer contribuições científicas. ”Armstrong afirmou que as previsões do Intergovernmental Panel on Climate Change (IPCC), mundialmente reconhecido, violavam todos os oito critérios.

O que está acontecendo agora é, pesquisa governamental, universidades - elas estão pedindo o que chamo de pesquisa de defesa. Elas têm algo, elas querem que você prove, certifique-se de provar, [e quando] você faz, você continua sendo pago”, disse ele em um artigo separado no site Breitbart. “A pesquisa de defesa é a maior parte desses 99% de estudos não científicos e eles não são feitos para o desenvolvimento científico, eles são feitos para apoiar uma ideia política. Se você quer ganhar dinheiro nas universidades hoje em dia, você publica artigos que apoiam o aquecimento global e você vive generosamente”.

Sobre o motivo de ninguém ter desafiado o IPCC em seu alegado desrespeito pela pesquisa científica, Armstrong respondeu: “Por que tudo isso está acontecendo? Ninguém lhes pergunta! Você envia algo para um jornal e eles não dizem o que você precisa fazer. Eles não dizem 'aqui está o que é ciência, aqui está como fazer isso'”.

Leia também: Prof. Molion Denuncia Manobras Políticas que Manipulam a Ciência Climática

A "verdade" tem um preço

Esta é uma ideia tão fascinante a considerar; particularmente porque a motivação básica para esses "cientistas" parece estar mais focada no capitalismo do que na precisão. Armstrong argumentou que ser politicamente conveniente é mais recompensador financeiramente e em termos de carreira.

Os 'cientistas' trapaceiam. Se você não obtiver resultados estatisticamente significativos, então você elimina variáveis, adiciona variáveis, e eventualmente você consegue o que quer”, concluiu.

Quando a NASA divulgou um “consenso científico” que supostamente afirmava que 97% da comunidade científica acreditava que a mudança climática era uma ameaça real e perigosa, a controvérsia se seguiu. Os três por cento restantes - dos quais Armstrong foi incluído - pediram provas. Uma proposta foi revisada recentemente por um comitê do Congresso em abril de 2017, que criaria “equipes vermelhas” que seriam financiadas pelo Congresso para investigar as reivindicações exatas da mudança climática. A proposta, chamada de “Ciência do Clima: Pressupostos, Implicações de Políticas e o Método Científico”, foi definida para revisão pelo Comitê da Câmara sobre Ciência, Espaço e Tecnologia.

O presidente do comitê, o deputado Lamar Smith (R-Texas), disse em sua declaração de abertura que existem certos elementos na ciência climática que foram feitos por cientistas que “operam fora dos princípios do método científico”, como relatado no site BigThink. Smith disse que a ideia proposta reduziria o número de artigos "científicos" sendo aprovados como verdadeiros.

Leia mais:


Oficial da ONU Pede "ARCA" para Salvar o Mundo do "Aquecimento Global"






Cidade de Berkeley Exige o Despovoamento Forçado para Deter a "Crise" da Mudança Climática que Afirma ser Pior que o Holocausto


















Fontes:
Natural News: 99% of modern scientific papers are nothing more than politically-motivated pseudoscience, warns science pioneer
Breitbart: J Scott Armstrong: Fewer Than 1 Percent Of Papers in Scientific Journals Follow Scientific Method
NASA: Scientific consensus: Earth's climate is warming
Big Think: Climate Scientist Proposes “Red Teams” to Challenge Established Global Warming Science
- University of Pennsylvania: Research on Scientific Journals: Implications for Editors and Authors

Nenhum comentário:

Posts Relacionados
 
;