RSS do Blog Anti-NOMBlog Anti-NOM no Google Mais Twitter do Blog Anti-NOM Facebook do Blog Anti-NOM

Ron Paul Defende Assange: "Não Permitam que Trump Declare Guerra contra a Verdade"

segunda-feira, 1 de maio de 2017 |

Comentário do Editor: Conforme o Presidente Trump continua a ser o anti-Ron Paul do Partido Republicano, o ex-congressista e candidato presidencial de 2008/2012 está chamando o comandante-chefe por seu recente apoio para prender (e talvez até mesmo executar) Julian Assange, que foi sequestrado na embaixada equatoriana há cerca de 5 anos depois de iniciar uma revolução de revelações através de seu ativismo no Wikileaks.

Trump aparentemente não só tem que agradecer ao Wikileaks por sua vitória eleitoral - depois de vazamento de e-mails, atividades corruptas dentro do DNC, e expor as maquinações desagradáveis ​​e atividades estranhas ligadas (embora vagamente) à política Clintoniana da política - mas elogiar publicamente Assange em relação à campanha. Agora, parece que isso tudo poderia ser revertido, terminando em um constrangimento e aborrecimento para o estado profundo dos EUA, conforme a nação marcha para outra rodada de guerras sem fim, e talvez a um grandioso evento." A primeira vítima quando a guerra vem, é a verdade."


Candidato Trump: "Eu amo o Wikileaks." Presidente Trump: "Prendam Assange!"

Por Ron Paul

"Eu amo o Wikileaks", disse o candidato Donald Trump em 10 de outubro durante a campanha eleitoral. Ele elogiou a organização por relatar o lado mais sombrio da campanha de Hillary Clinton. Isso foi informação divulgada por um denunciante da campanha de Clinton para o Wikileaks.

Naquela época, ele elogiou o Wikileaks por promover a transparência, mas o candidato Trump parece menos com o Presidente Trump a cada dia. O candidato elogiou os denunciantes e o WikiLeaks frequentemente durante sua a campanha eleitoral. Na verdade, o candidato Trump amava tanto o Wikileaks que, ele mencionou a organização mais de 140 vezes no último mês da campanha, sozinho! Agora, como presidente, parece que Trump quer o fundador do Wikileaks, Julian Assange, preso.

Na semana passada, a CNN informou, citando fontes anônimas da "comunidade de inteligência", que o Departamento de Justiça da Administração Trump estava buscando a prisão de Assange e descobriu uma maneira de acusar o fundador do Wikileaks por publicar informações classificadas sem acusação formal de outros meios de comunicação como o New York Times e Washington Post por publicações da mesma informação.

Leia também: E-mail Vazado Pelo WikiLeaks Adverte sobre Extinção Global em 20 Anos

Pode ter sido tentador escrever o relatório da CNN como "notícias falsas", como é grande parte de seus relatórios, mas pelo fato de o presidente Trump dizer em uma entrevista na sexta-feira que a emissão de um mandado de prisão para Julian Assange seria, "Tudo certo para mim."

A condenação do Wikileaks por Trump ocorreu apenas um dia depois de seu diretor da CIA, Michael Pompeo, ter atacado o Wikileaks como um "serviço de inteligência hostil". Pompeo acusou Assange de ser "uma fraude - um covarde escondido atrás de uma tela".

Leia também: Wikileaks: Hillary Procurou por Drogas para Tratamento de Parkinson após Fadiga de Decisão

A escolha de palavras de Pompeo não foi um acidente. Ao acusar o Wikileaks de ser um "serviço de inteligência hostil" ao invés de um editor de informações sobre as práticas ilegais e abusivas do governo divulgadas por denunciantes, ele sinalizou que a organização não tem direitos à Primeira Emenda. Como muitos em Washington, ele não entende que a Primeira Emenda é uma limitação do governo ao invés de uma concessão de direitos aos cidadãos. Pompeo declarou guerra contra o Wikileaks.

Mas, não há muito tempo, Pompeo também citou o Wikileaks como uma importante fonte de informação. Em julho, ele salientou que o Wikileaks liberou informações prejudiciais para a campanha de Clinton, escrevendo: "Precisa de mais provas de que a solução foi do presidente Obama até agora?"

Leia também: E-mails de Podesta: O Vaticano Sabe que há Extraterrestres e a Guerra Espacial é Iminente

Há uma palavra para esta súbita reviravolta sobre o Wikileaks e a transparência que nos fornece nas operações da proeminente e poderosa: hipocrisia.

A declaração de guerra da administração Trump sobre os denunciantes e o Wikileaks é uma das maiores decepções nestes primeiros 100 dias. Donald Trump entrou na Casa Branca com promessas de que "drenaria o pântano", significando que ele iria desistir dos planos dos interesses estabelecidos por Washington. Ao desencadear os mesmos interesses adquiridos sobre aqueles que os mantêm em xeque - os denunciantes e aqueles que publicam suas revelações - ele virou as costas para aqueles que o elegeram.

Julian Assange, juntamente com os denunciantes que nos revelam o mal que está sendo feito em nome dos americanos, são heróis. Eles merecem nosso respeito e admiração, não uma cela de prisão. Se permitimos que esse presidente declare guerra àqueles que dizem a verdade, a culpa também é nossa.

Leia mais:



WikiLeaks Revela Rituais Satânicos Usados por Chefes da Casa Branca






E-mails de Hillary Mostram Tudo Desde Subornos à Pedofilia







Fontes:
- STHF Plan: Ron Paul Defends Assange: “Don’t Allow This President To Declare War On the Truth”
Ron paul Institute: Candidate Trump: ‘I Love Wikileaks.’ President Trump: ‘Arrest Assange!’

Nenhum comentário:

Posts Relacionados
 
;