RSS do Blog Anti-NOMBlog Anti-NOM no Google Mais Twitter do Blog Anti-NOM Facebook do Blog Anti-NOM

Maior que Watergate: Funcionários de Obama Pegos em Flagrante na Maioria dos Abusos de Poder da História dos EUA... Susan Rice vai para a Prisão?

quarta-feira, 5 de abril de 2017 |

Isto é dez vezes maior do que Watergate... e porventura veremos altos funcionários de Obama passando anos na prisão.

A história sobre o #SurveillanceGate está explodindo sobre todos os democratas hoje, como agora é revelado que Susan Rice, antiga conselheira da Segurança Nacional de Obama, fazia parte de uma conspiração criminosa maciça para vigiar e "desmascarar " os oficiais da campanha do presidente Trump em um esforço para destruir as chances de Trump vencer a eleição ou de governar depois de conseguir o cargo.


O Daily Caller relata agora que Susan Rice ordenou que as agências de espionagem produzissem "planilhas detalhadas" com nomes e identidades desmascarados de funcionários da Equipe Trump. Este é um crime capital e um abuso grosseiro de poder nos níveis mais altos, maior que o escândalo Watergate da era Nixon.

Aqui está um resumo das revelações até agora (links das fontes abaixo):

Maior que Watergate: Funcionários de Obama Pegos em Flagrante na Maioria dos Abusos de Poder da História dos EUA... Susan Rice vai para a Prisão?

* Obama e outros democratas do alto escalão (como Susan Rice e Ben Rhodes) deliberadamente "armaram" os aparatos de inteligência da nação para minar ou destruir os opositores políticos. Este é um crime sério e um abuso grosseiro de poder.
* Para conseguir isso, os funcionários de Obama deliberadamente destinaram uma longa lista de funcionários estrangeiros para a vigilância, sabendo que os membros da Equipe Trump provavelmente se envolveram em conversas diplomáticas internacionais com eles, permitindo que o pessoal de Trump fosse "incidentalmente" varrido na vigilância.
* Este "armamento" da vigilância para fins políticos foi posto em prática um ano antes das eleições de 2016. Muito provavelmente incluiu a vigilância de outros candidatos republicanos também.
* Susan Rice e Ben Rhodes então conspiraram com a Casa Branca de Obama para ilegalmente "desmascarar" as identidades das pessoas dos EUA que foram varridas na vigilância.
* Susan Rice manteve uma "planilha detalhada" de todas as chamadas, nomes, conversas e outros detalhes que foram compartilhados com a Casa Branca (Presidente Obama).
* Obama assinou então uma ordem que permite que 16 agências de inteligência compartilhassem essas gravações de vigilância "desmascaradas", garantindo que um espião amigo de Obama dentro do estado profundo vazasse detalhes para a mídia anti-Trump (NYT, WashPost).
* A vice-secretária de Defesa de Obama, Evelyn Farkas, admitiu abertamente que instou os operários do "estado profundo" de Obama a realizarem um programa maciço de "varredura de vigilância" para atingir os membros da Equipe Trump.
* A conspiração de vigilância marca o maior e mais criminoso abuso de poder já testemunhado na história da Casa Branca.
* Muitos funcionários da era Obama provavelmente enfrentarão graves acusações criminais em relação a essa atividade, e a "teia do engano" provavelmente se expandirá rapidamente para incluir outros funcionários que ainda não foram nomeados.
* A CNN e a maioria dos principais meios de comunicação estão fingindo que nada disso aconteceu, esperando que eles possam varrer a história para debaixo do tapete.

Aqui está a principal reportagem a aparecer agora sobre esta história bombástica:

Do site The Daily Caller:

A assessora de segurança nacional do ex-presidente Barack Obama, Susan Rice, ordenou que as agências de espionagem dos EUA produzissem "planilhas detalhadas" de telefonemas legais envolvendo Donald Trump e seus assessores quando ele se candidatou à presidência, de acordo com o ex-procurador Joseph DiGenova.

"O que foi produzido pela comunidade de inteligência a pedido da Sra. Rice foram planilhas detalhadas de telefonemas interceptados com associados desmascarados de Trump em conversas perfeitamente legais com indivíduos", disse diGenova ao The Daily Caller News Foundation Investigative Group na segunda-feira.

Os críticos da atmosfera prevalecente em todo o governo Obama no ano passado no cargo, apontam para a ex-secretária de Defesa de Obama, Evelyn Farkas, que admitiu em uma entrevista de TV em 2 março para a MSNBC que ela "estava instando meus ex-colegas", para "obter tanta informação quanto possível, obter tanta inteligência quanto possível, antes que o presidente Obama deixasse o governo."

Michael Doran, ex-diretor sênior do NSC, disse ao TheDCNF na segunda-feira que "alguém explodiu um buraco na parede entre os segredos de segurança nacional e a política partidária". Esta "era uma corrente de informação que deveria ser hermeticamente fechada da política, e a administração Obama encontrou uma maneira de abrir um buraco naquela parede", disse ele.

Doran acusou que os sérios crimes potenciais foram empreendidos porque "este é um vazamento de indício de inteligência."

"Isso é um crime", disse ele ao TheDCNF. "E você pode pegar 10 anos por isso. É um tremendo abuso do sistema. Não devemos estar monitorando os cidadãos americanos. Maior do que o crime, é a violação da confiança do público."

Do site BloomBerg News:

Os advogados da Casa Branca no mês passado souberam que a ex-assessora da Segurança Nacional Susan Rice pediu identidades das pessoas dos EUA em relatórios de inteligência em dezenas de ocasiões que se conectam à transição e campanha de Donald Trump, de acordo com autoridades norte-americanas.

O padrão dos pedidos de Rice foi descoberto em uma revisão do Conselho de Segurança Nacional da política do governo sobre "desmascarar" as identidades de indivíduos nos EUA que não são alvo de escutas eletrônicas, mas cujas comunicações são coletadas incidentalmente. Normalmente, esses nomes são editados dos resumos de conversas monitoradas e aparecem nos relatórios como algo como "US Person One".

O presidente do Comitê de Inteligência da Câmara, o deputado Devin Nunes, também está investigando como a Casa Branca de Obama manteve um controle sobre a transição Trump após a eleição, desmascarando os nomes de associados de Trump incidentalmente coletados em escutas de autoridades estrangeiras do governo.

Da Fox News:

Várias fontes dizem à Fox News que Susan Rice, ex-assessora da Segurança Nacional sob o então presidente Barack Obama, pediu para desmascarar os nomes dos funcionários de Trump, que foram pegos em vigilância.

Os nomes desmascarados de pessoas associadas a Donald Trump foram então enviados a todos aqueles do Conselho de Segurança Nacional, alguns para o Departamento de Defesa, do então Diretor de Inteligência Nacional James Clapper e, em seguida, ao Diretor da CIA, John Brennan - essencialmente , os oficiais número um, incluindo o ex-vice de Rice, Ben Rhodes.

Os nomes faziam parte da vigilância eletrônica incidental do candidato e presidente eleito Trump e pessoas próximas a ele, incluindo membros da família, por até um ano antes de assumir o cargo.

Do site Breitbart.com:

As supostas planilhas acrescentam uma nova dimensão aos relatórios do domingo e da segunda-feira pelo blogueiro Mike Cernovich e Eli Lake do Bloomberg News, de que Rice pediu que os nomes dos assessores do Trump fossem "desmascarados" nos relatórios da inteligência... parte de uma suposta operação de inteligência política para disseminar amplamente os relatórios sobre a campanha Trump ao longo do governo com o objetivo de vazá-los à imprensa.

No momento em que o radialista Mark Levin e o site Breitbart News compilaram a evidência de vigilância, divulgação e vazamento - tudo com base em relatórios da mídia tradicional - a grande mídia rejeitou a história como uma “teoria da conspiração”.

Agora, no entanto, os democratas estão se afastando dessa alegação e de alegações mais amplas de conluio russo com a campanha Trump, à medida que detalhes adicionais da suposta supervisão da administração Obama continuam surgindo.

Rhodes e Rice foram ambos implicados em uma campanha de desinformação para descrever o ataque terrorista a Benghazi em setembro de 2012 como um protesto contra um vídeo do YouTube. Rhodes também se vangloriou de criar uma "câmara de eco" na mídia para promover o negócio do Irã, alimentando histórias para redes de "especialistas" que ofereceram ao público um fluxo constante de propaganda de pró-acordo.

CNN deprecia a história bombástica, e pede aos telespectadores que ignorem completamente a notícia

O que a mídia corporativa fez em resposta a esta notícia bombástica que é maior do que a Watergate? A CNN está agora instando seus telespectadores a ignorarem completamente a história, afirmando essencialmente que é tudo "notícia falsa", insistindo que suas próprias teorias de conspiração sobre a interferência russa são as "notícias verdadeiras".

Via Grabien News:

Desde que a notícia saiu na segunda-feira, de que a Conselheira da Segurança Nacional da Administração Obama, Susan Rice, dirigiu o "desmascaramento" de interceptações de NSA de associados de Trump, a CNN correu para derrubar o relatório de sucesso.

Don Lemon, da CNN Tonight, chegou a anunciar que ignoraria a notícia a todo custo.

Ao entrevistar um congressista democrata, Chris Cuomo da CNN, afirmou que era "visivelmente falso" que Rice solicitou a vigilância da Equipe Trump, mesmo que isso seja exatamente o que os relatórios de ontem provam.

Durante as últimas 24 horas, a rede também repetidamente pediu ao seu chefe correspondente da Segurança Nacional, Jim Sciutto, para descartar os relatórios como uma história insignificante; Sciutto ainda desculpou Rice alegando a ignorância do escândalo de desmascaramento há duas semanas, argumentando que Rice "não sabia" a que o representante Devin Nunes (D-Calif.) estava se referindo.

Então, aí está. Essa é a maior bomba da corrupção (Obama) da Casa Branca e criminalidade desde Nixon, mas a mídia de esquerda que odeia os fatos, decidiu antecipadamente que "não há nada para ver aqui".

Você pode imaginar se tudo isso tivesse sido descoberto sob o ex-presidente Bush? A CNN estaria pedindo impeachment, prisão e acusações de traição. Mas quando o pessoal de Obama faz tudo isso, "não são notícias."


Leia mais:



Obama Compartilha com as Agências de Inteligência dos EUA o Acesso aos Dados Espionados Pela NSA


10 Maneiras Altamente Eficazes que o Presidente Trump e Kellyanne Conway Podem Vencer a Guerra contra os Cartéis de Esquerda Desonestos





Fontes:
- Natural News: Obama officials caught red-handed in most explosive abuse of power in U.S. history… bigger than Watergate… is Susan Rice going to prison?
- Trump News: Obama Officials Caught Red-Handed In Most Explosive Abuse Of Power In U.S. History… Bigger Than Watergate… Is Susan Rice Going To Prison?
Daily Caller: Former US Attorney: Susan Rice Ordered Spy Agencies To Produce ‘Detailed Spreadsheets’ Involving Trump
Bloomberg News: Top Obama Adviser Sought Names of Trump Associates in Intel
Fox News: Susan Rice requested to unmask names of Trump transition officials, sources say
Breitbart: Report: Susan Rice Ordered ‘Spreadsheets’ of Trump Campaign Calls
Breitbart: Mark Levin to Congress: Investigate Obama’s ‘Silent Coup’ vs. Trump
NYT: The Aspiring Novelist Who Became Obama’s Foreign-Policy Guru
Grabien: CNN GOES ON RAMPAGE AGAINST SUSAN RICE BOMBSHELL, INSTRUCTS VIEWERS TO IGNORE STORY

Nenhum comentário:

Posts Relacionados
 
;