RSS do Blog Anti-NOMBlog Anti-NOM no Google Mais Twitter do Blog Anti-NOM Facebook do Blog Anti-NOM

Japão Retira Apoio à Vacina Contra HPV Devido aos Efeitos Adversos, Como Infertilidade e Paralisia

quarta-feira, 5 de março de 2014 |

O Ministério da Saúde do Japão está expondo os efeitos colaterais destrutivos provenientes das populares vacinas contra o HPV como a Gardasil (escolhida para o Brasil) e a Cervarix,  promovidas mundialmente. Até hoje, cerca de 3,28 milhões de japoneses exclusivamente foram inoculados com estas vacinas contra a HPV. Até o momento, 1.968 casos adversos foram apresentados ao governo japonês, detalhando efeitos colaterais médicos graves.

Gardasil é fabricada pela Merck e Cervarix é fabricada pela GlaxoSmithKline.

Os japoneses estão relatando efeitos colaterais variando desde "dor prolongada e dormência à infertilidade e paralisia." Na esteira destas queixas, o governo japonês decidiu retirar seu apoio a estas amplamente difundidas e controversas vacinas contra o HPV.


Organizações globais empurram vacinas a todo custo

Independentemente disso, a Organização Mundial de Saúde destaca a eficácia  pela vacinação contra o HPV, acreditando que elas sejam ferramentas úteis para "prevenção" do câncer cervical.

A gigante farmacêutica mundial Merck (também conhecida agora como MSD)  também não está dando ouvidos aos relatórios fundamentados dos terríveis efeitos colaterais da vacinação mas, afirmando em uma decisão pública: "Enquanto a relação causal direta entre as vacinas e sintomas graves observados após a inoculação não foi estabelecida até o momento ... Vamos continuar a colaborar com todas as partes interessadas, incluindo (o Ministério da Saúde), para monitorar e verificar os dados de segurança em relação a retomada da promoção ativa para a vacinação contra o HPV o mais rapidamente possível."

O governo do Japão de olho em cerca de 2.000 reações adversas da vacina HPV

As vacinas de HPV não foram paralisadas ou suspensas no Japão. O governo simplesmente não apenas está promovendo ativamente mais o uso delas. Estas vacinas contra o HPV ainda estão disponíveis gratuitamente para meninas, fornecidas através de subsídios, exigido por lei. A única diferença agora é que as instituições médicas japonesas devem agora informar as jovens garotas que o ministério de saúde do governo japonês não recomenda mais a vacina contra HPV.

Na esperança de apelar a todos, Mariko Momoi, vice-presidente da International University of Health and Welfare O-tawara, comentou: "A decisão (não recomendar a vacinação) não significa que a vacina em si é problemática do ponto de vista de segurança. Com a implementação de investigações, queremos oferecer informações que podem fazer as pessoas se sentirem mais à vontade".

Momoi é o líder na força tarefa do governo conduzindo a investigação da vacinação contra o HPV. A força-tarefa ouviu 1.968 efeitos adversos e estão investigando mais profundamente 43 dos casos. Nos próximos meses, o governo será forçado a decidir continuar retirando o seu apoio ou para ir em frente e restabelecer a sua recomendação para as vacinas.

"É bem-vinda a decisão de não recomendar a vacinação, mesmo que seja um pequeno passo", disse Mika Matsufuji, chefe de um grupo de pais que diz que seus filhos sofreram efeitos adversos da vacinação. "Os pais podem decidir se seus filhos devem receber a vacinação ou não", disse ela.

Esta não é a primeira vez que o Japão contraria a tendência de cada vez mais vacinas.

Em 1975, o Japão eliminou todas as vacinas para crianças menores de 2 anos de idade. A taxa de mortalidade infantil do país depois disto caiu para o nível mais baixo do mundo. Japão mudou seu esquema de vacinação infantil de novo em 1995, mas continua a ser uma das menos agressivas do mundo, e sua taxa de mortalidade infantil do Japão (IMR) continua baixa também (terceiro em 2009). Os Estados Unidos ocupam 34.  Recomendamos que leiam o post "[Estudo] Taxa de Mortalidade é 50% Maior com Mais Doses de Vacinas Simultâneas"


Os EUA usam o dinheiro do contribuinte para pagar a vacinação perigosa Gardasil



Apesar das crescentes evidências dos perigos da Gardasil, outros países permanecem sob o polegar de vacinas da Merck soletrar. Por exemplo, os Estados Unidos recomenda que avidamente adolescentes HPV ser vacinados, uma vez que promovem estudos apoiados pela indústria que tout da vacinação "eficácia". Os Estados Unidos usam ativamente dólares dos contribuintes para financiar vacinas federais para programas infantis, que incluem o uso de Gardasil, prestados pelos Centros de Controle de Doenças . De fato, 20 estados aprovaram leis que reservam fundos para programas de educação Gardasil e implementação. Enquanto os governos acreditam que estão promovendo a saúde geral e bem-estar, é importante olhar para as estatísticas documentados de pessoas que experimentam efeitos secundários perigosos.

Aqui está uma lista (em inglês) de incidências de hospitalização dos EUA devido à vacinação do HPV.

Merck (MSD) tem uma histórico de corrupção

Um estudo médico canadense, realizado pela Universidade de Neural Dynamics Research Group, da British Columbia , o primeiro relatado pelo Washington Examiner, incluiu uma lista de efeitos colaterais da vacina Gardasil que implicaram em: morte, convulsões, parestesia, paralisia, síndrome de Guillain-Barré, mielite transversa, síndrome facial fadiga cerebral, crônica, anafilaxia, doenças auto-imunes, e trombose venosa profunda", entre outros. Esta não é a primeira onda de corrupção médica Merck promoveu. Merck é conhecida por falsificar os resultados dos testes para as suas próprias vacinas contra caxumba. Dois ex- funcionários entraram com uma ação em 2010 alegando que a empresa convenceu o governo federal para a comprar centenas de milhões de dólares em vacinas inúteis.

A Merck também é conhecida por seu aditivo para aumentar o peso dos animais antes do abate, chamado Zilmax, que foi suspenso nos EUA após causar graves problemas nos animais. Ela foi suspensa no Brasil também após um curto período de comercialização. Entrei em contato com a empresa e amanhã devo ter mais informações. O mais conhecido escândalo da empresa foi o remédio Vioxx 1999-2004, que rendeu 38 mil mortes e um recall massivo.

Então, por que qualquer um, qualquer governo, qualquer pessoa em sã consciência confiaria em gigantes farmacêuticas como a Merck? Porque é que esta organização de assassinos e ladrões está ainda em operação?

Por que todos os governos ainda não retiraram o seu apoio a estas perigosas vacinas contra o HPV como a Gardasil? Por que as verdadeiras alternativas para prevenção de cânceres cervicais e outros não discutidas? Porque é que qualquer coisa que ameace a fertilidade humana seja amplamente promovido?

Nota blog: estamos preparando um mega-artigo sobre o lançamento da campanha de vacinação contra o HPV no Brasil, que deverá ser publicado nos próximos dias.

Leia mais:



Vacina Gardasil Contaminada com DNA recombinante de HPV - Brasil Planeja Garantir Vacina Contra HPV "de Graça" Para Todas as Mulheres de 9-45 Anos







Expert em Remédios Diz Que Vacina para Câncer Cervical É mais Mortal Que O Próprio Câncer








[Fraude das Vacinas] Merk Falsificou Resultados da Eficácia das Vacinas Contra Caxumba e Sarampo, Dizem Ex-Empregados



Fontes:
- Via Notícias Naturais
- Natural News: Japan withdraws support for HPV vaccines due to infertility side effects
- Tokio Times: HPV vaccine seen differently by Japan and the U.S.
- Medscape: Japan Withdraws HPV Vaccine Recommendation for Girls
- Judicial Watch: Medical Study Confirms Gardasil Dangers Exposed By Judicial Watch

4 comentários:

Anônimo disse...

Se você acha que sua filha vai ser promíscua, melhor ariscar e ajudar bandidos a encherem os bolsos. E não adianta perguntar aos médicos que a grande maioria deles são uns "açougueiros" que não para nem para ler um jornal. Eles vão repetir o que mandam eles dizerem. Não pesquisam nada e depois que a meda for pro ventilador não vai ser neles que vai espirar.
O HPV é um condiloma acuminado, conhecido também como verruga genital, crista de galo, figueira ou cavalo de crista, é uma doença sexualmente transmissível (DST) causada pelo Papilomavírus humano (HPV). Atualmente, existem mais de 100 tipos de HPV - alguns deles podendo causar câncer, principalmente no colo do útero e do ânus. Entretanto, a infecção pelo HPV é muito comum e nem sempre resulta em câncer. O exame de prevenção do câncer ginecológico, o Papanicolau, pode detectar alterações precoces no colo do útero e deve ser feito rotineiramente por todas as mulheres.

Wilson Santos disse...

O Japão é um paisinho pobre, atrasado e sem cultura, vejam só quanta ignorância japonesa. Engraçado como quase não se divulga isso:
Os japoneses estão relatando efeitos colaterais variando desde "dor prolongada e dormência à infertilidade e paralisia." Por causa destas queixas, o governo japonês decidiu retirar seu apoio a estas amplamente difundidas e controversas vacinas contra o HPV.

http://folhacentrosul.com.br/cidades/3951/no-japao-governo-deixa-de-apoiar-vacina-contra-hpv

Anônimo disse...

SE TER "CULTURA" FOSSE SINÔNIMO DE AGIR CORRETAMENTE, OS PAÍSES MAIS DESENVOLVIDOS NÃO SERIAM OS MESMOS QUE PROMOVEM GUERRAS, EXPLORAÇÕES, GERAM PSICOTAS E TANTA GENTE DEPRESSIVA.DA MESMA FORMA, NÃO TERÍAMOS NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE TANTOS EXEMPLOS DE CURAS DE DOENÇAS, TRATAMENTOS E PERVENÇÕES DESCOBERTOS A PARTIR DA OBSERVAÇÃO DE PRÁTICAS MAIS PRIMITIVAS.
COPIANDO O QUE VEM DE FORA É QUE NOSSO PAÍS VEM SE TORNANDO UM LUGAR CADA VEZ MAIS VIOLENTO, CORRUPTO E DESIGUAL.

Anônimo disse...

Os comentários são vergonhosos. É preciso estudos científicos para contra indicar a vacina. No Brasil a criança leva uma autorização para um dos pais assinarem .

Posts Relacionados
 
;