RSS do Blog Anti-NOMBlog Anti-NOM no Google Mais Twitter do Blog Anti-NOM Facebook do Blog Anti-NOM

Viagra no Combate ao Câncer?

segunda-feira, 11 de novembro de 2013 |

"Se os médicos podem me curar eu vou ficar muito feliz. Eu ficaria encantado. Gostaria de ser saudável e ser capaz de fazer qualquer coisa que eu quero. Eu poderia correr rápido, brincar nos balanços - o que eu quiser". José Serrano

Um tumor gigante no pescoço de um menino de dez anos pode ser curado com a prescrição de Viagra.
José Serrano, de Cidade de Juarez, no México, está perdendo tempo de vida enquanto o tumor coloca pressão sobre a traqueia impedindo-o de respirar.
Mesmo com cirurgiões desesperados para operar, isso não vai ser seguro pelo menos até que o crescimento cístico conhecido como um linfangioma diminua. Viagra, que é mais famoso por ajudar a impotência masculina, foi descoberto como encolhedor de tumores em crianças.

José está tomando o medicamento na esperança de que ele um dia será capaz de viver a vida como um menino normal.
O tumor é áspero e escamoso e muitas vezes forma cistos dolorosos. Estende-se pelo ombro de José restringindo seu movimento.

Ele não pode nadar porque a água causa dores, e ele se cansa facilmente se jogar futebol e andar de bicicleta.
E agora alguns dos cistos estão invadindo seus pulmões e se aproximando sua traqueia. Há também temores de que um dia possa se espalhar para os olhos e afetar sua visão.

"Tem sido difícil", explicou sua mãe Cindy. "As pessoas olham para ele. Alguns deles têm terríveis olhares mórbidos em seus rostos".
"Nós tentamos deixar o José levar uma vida tão normal quanto possível. Nós o deixamos fazer tudo o que as outras crianças fazem, a menos que seja  muito difícil ou perigoso para ele."
"Mas às vezes ele fica muito triste, porque ele é diferente das outras crianças. Até agora simplesmente não havia dinheiro para tratá-lo."

Outro obstáculo para a família de José foi o custo. O tratamento e a cirurgia para a remoção vão custar £125.000 (R$463.000).
E depois há o custo da medicação - £1.250 (R$4.633) por semana, que José precisou receber por vários meses. Mas a família recebeu financiamento para cobrir os custos.

 incrível a quantidade de dinheiro", disse sua mãe. "Mais dinheiro do que veríamos em uma vida. As palavras podem expressar o quanto somos gratos às pessoas que nos ajudaram. É surreal. Parece um sonho."

O caso de José foi levado ao conhecimento dos peritos médicos depois que ele foi descoberto por missionários da Primeira Igreja Batista de Rio Rancho, perto de Albuquerque, Novo México.

 Os custos dos cuidados estão sendo financiados com a ajuda do hospital, captação de
recursos da igreja e doações de todo o mundo

Eles ajudaram a família a contatar especialistas do  Hospital Infantil da Universidade do Novo México .
Foi só no ano passado que sua mãe e seu marido Sr. José Ramirez descobriram o que estava causando o tumor em seu filho desde que ele era um bebê.

"Quando José nasceu com o tumor ficamos aterrorizados", ela lembrou. "Os médicos me disseram que era muito provável que o bebê não sobrevivesse além aquela noite."
"Eu me senti mal porque não temos os recursos financeiros para dar a ajuda que precisava."
Sr. Ramirez acrescentou: "A pequena bola que ele tinha quando nasceu agora está se espalhando para os lados. Parece estar enchendo mais. O primeiro ano foi difícil, pois não sabíamos o que poderia acontecer e se poderia machucá-lo."

"O caroço era tão grande quanto sua cabeça, por isso era difícil segurá-lo. Tenho um sentimento de orgulho de ainda tê-lo conosco, porque os médicos disseram que ele não iria sobreviver".

José Jr disse, sorrindo: "Agora eu tenho muito mais esperança. Eu só quero poder jogar e me divertir".

A missionária batista Patricia Avila se deparou com José quando ela e seu marido viajaram para a Cidade de Juarez, uma das cidades mais pobres e mais perigosas do mundo, onde trabalham com crianças em orfanatos.
"O vimos na rua", disse ela. "Meu marido e eu viramos um para o outro e dissemos: Você viu o que eu vi? Eu lhe disse: "Nós temos que fazer alguma coisa".

Agora, os custos dos cuidados continuados de José estão sendo financiados com a ajuda do hospital, captação de recursos da igreja e doações de todo o mundo.
Pfizer concordou em cobrir o custo do Viagra.

Sorrisos: José Serrano com sua mãe Cindy e seu pai Sr. José Serrano

A mãe do menino, que tem outros três filhos, disse: "Agora podemos sonhar com o futuro do José. Quem sabe, talvez um dia ele possa ir para a universidade e ter uma grande vida."

"Nosso maior medo era de que a condição seria incurável e sua vida ainda estaria em risco. E, claro, estamos nervosos com a cirurgia. Mas tenho dito que as chances são boas."
"Ele está animado para poder usar camisas de colarinho como seus tios. Há uma garota por quem ele tem uma queda e ele espera que ela o ache bonito."
"Ele é muito corajoso. Ele mantém sempre um sorriso no rosto mesmo depois de tudo o que passou. Agora só temos de nos manter ocupados e esperar o melhor. "

Viagra pode ajudar a combater o câncer

Atualmente, muitos tipos de câncer são tratados com doxorrubicina, um antibiótico que mata as células cancerosas, usado durante a quimioterapia. A ação do medicamento é geralmente limitada pela sua dose, pois ele é muito tóxico. Os pacientes que o tomam podem ter efeitos colaterais desagradáveis, incluindo náuseas, vômitos, infecções na boca e danos ao coração.

Agora, pesquisadores descobriram que o Viagra, famoso remédio para disfunção erétil, tem mais do que uma função desejável: a droga também aumenta as ações da doxorrubicina, e limita os seus efeitos colaterais tóxicos.

Alguns dos benefícios já conhecidos da droga são a aceleração da ereção, a impulsão de orgasmos em mulheres deprimidas, o tratamento da doença de Crohn e até o tratamento de celulite.

O sildenafil, vendido pelo nome de Viagra, trabalha inibindo uma enzima chamada fosfodiesterase-5 (PDE-5), que controla o fluxo de sangue. Quando a ação da enzima é bloqueada, as paredes dos vasos sanguíneos dilatam, permitindo maior fluxo sanguíneo.

Pesquisadores já observaram aumento dos níveis de PDE-5 em uma variedade de cânceres, incluindo câncer de mama, cólon, bexiga e pulmão. Os pesquisadores também descobriram que outro inibidor do PDE-5, exisulind, impedia o crescimento tumoral em células de câncer de cólon.

Segundo os pesquisadores, o sildenafil não tem efeito nenhum quando tomado sozinho. Porém, quando combinado com a doxorrubicina, ele pode ter efeito no câncer de próstata, por exemplo. A equipe descobriu que a droga aumentou os efeitos anti-tumorais da doxorrubicina em células cancerosas humanas da próstata e em ratos vivos. Sua ação combinada causou a morte de mais células cancerosas enquanto inibia o crescimento do tumor.

Os cientistas disseram que o Viagra, que já é conhecido por aumentar o fluxo sanguíneo para o coração, também protegeu o coração dos efeitos da doxorrubicina. Ou seja, os pesquisadores acreditam que o sildenafil seja um excelente remédio para ser incorporado aos tratamentos de câncer, porque tem o potencial de aumentar a eficácia anti-tumoral e proteger o coração contra os danos a curto e a longo prazo da doxorrubicina.

--------------------------------------

Nota admin: Sempre recebo com um pouco de ceticismo quando a indústria farmacêutica tenta lançar um medicamento para outros usos. Vimos alguns anos atrás como a Pfizer tentou, através de pura enganação, criar a disfunção sexual feminina, e que esta seria tratável também com o Viagra. Recomendo ler o artigo.

Posts relacionados:

Sexo, Mentiras e a Indústria Farmacêutica: Laboratórios promovem "criação" de doenças sexuais

sex-lies-and-pharmaceuticals-how-drug-companies-plan-to-profit-from-female-sexual-dysfunction1-194x300.jpg (194×300)

Fontes: 
- Daily Mail: Boy, ten, with giant tumour on his neck could be cured with VIAGRA
- Hype Science: Viagra pode ajudar a combater o câncer
- New Scientist: Cancer-fighting Viagra, the drug that keeps on giving
- Blog Anti-NOM: Sexo, Mentiras e a Indústria Farmacêutica: Laboratórios promovem "criação" de doenças sexuais

Por Jahaisa

Nenhum comentário:

Posts Relacionados
 
;